Compreende os diferentes processadores Qualcomm Snapdragon

Neste artigo explicamos as diferenças entre as linhas Snapdragon 8 Gen 1, Snapdragon 700, Snapdragon 600 e Snapdragon 400.
Escrito por Diogo Simões e
5 mins de leitura
Compreende os diferentes processadores Qualcomm Snapdragon
Publicidade
Publicidade

Um dos pontos chaves quando atualmente se compra um equipamento é, sem dúvida, as câmaras. Contudo, se o que alimenta estas câmaras não for bom, pouco adiante o número de sensores.

O processador é o coração de qualquer dispositivo e, num mercado recheado de jogadores, importa perceber, de uma vez por todas, as diferenças das diferentes gamas da linha de processadores da Qualcoom. Sim, temos também os processadores da Samsung e MediaTek mas, sendo os da empresa do dragão os mais utilizados, navegaremos em cada uma destas gamas para vosso benefício.

Snapadragom 800/ 8 Gen 1 - O topo de gama

Ficado conhecidos pela nomenclatura 800, foi o ano passado que a Qualcoom decidiu mudar o jogo e tornar as coisas mais fáceis. O Snpadragon 8 Gen 1 é assim o processador mais potente da empresa e disponível em equipamentos da Xiaomi, Oppo e Samsung.

Estes apresentam a arquitetura mais recente e que possibilita maior gestão de recursos ao mesmo tempo que consome menos. Construído a 4nm, este tem um CPU octa-core: 1 Cortex-X2 core, 3 Cortex-A710 cores, e 4 Cortex-A510. Comparado ao modelo do ano passado (888), o utilizador tem um aumento de 20% em performance e um ganho em energia de 30%.

Capacidades fotográficas do Snapdragon 8 Gen 1

Os gráficos são igualmente de fazer inveja, prometendo 30% de perfomance ganha comparado ao ano passado ao usar um novo GPU Adreno. Este processador tem ainda integrado um modem 5G (Snapdragon X65 5G) que permite velocidades até aos 10Gbps e suporta mmWave e sub-6GHz. Tem ainda compatibilidade para Wi-Fi 6E, Bluetooth 5.2, suporte a câmara única de de 200MP ou numa configuração de 108MP, configuração dupla 64MP+36MP ou uma configuração de três sensores 36MP. Permite ainda gravação de vídeo a 8K HDR e Quick Charge 5.

Os processadores equivalentes de outras empresas são o Exynos 2200 da Samsung, o Kirin 9000 da Huawei e a gama Dimensity 9000, da MediaTek.

Podemos encontrar este processador na série Samsung Galaxy S22, Xiaomi 12, no OnePlus 10 Pro e no Sony Xperia 1 IV. Denota, contudo, que apesar destas funcionalidades máximas, cabe a cada fabricante escolher o que fazer com cada uma delas.

Snapdragon 700 - A gama média-alta

Apesar de não tão potente como a linha anterior, a linha 700, nomeadamente a última adição, o Snapdragon 780G, é o modelo que desbloqueia muito do poder presente em smartphones bem conhecidos.

Desenhado numa arquitetura de 5nm (o mesmo design do Snapdragon 888), suporta mmWave e sub-6GHz, assim como um desenho triplo de CPU. Encontramos, nomeadamente, a presença de 1 Cortex-A78 CPU a 2.4GHz, 3 Cortex-A78 CPUs a 2.2GHz, e 4 Cortex-A55 CPU cores. Na componente gráfica encontramos o GPU Adreno 642 que tem ganhos consideráveis em termos de performance face a um dispositivo com o Snapdragon 855.

O Pixel 5a é um dos equipamentos com este processador

Nas câmaras encontramos um suporte para câmara única de 84MP, uma configuração dupla de 64MP+20MP, uma configuração tripla de 25MP+25MP+25MP ou um sensor de 192MP. Estas resoluções, contudo, não permitem uma grande resolução ou qualidade fotográfica, nomeadamente em cenários que envolva captura múltipla de frames (imagens noturnas ou com forte HDR). Não existe suporte a gravação a 8K apesar de ser possível 4K a 30fps. Suporta ainda carregamento rápido Quick Charge 4+ e Bluetooth 5.2.

Faz parte desta gama os primeiros processadores com capacidade 5G para esta faixa de preço de mercado e que permitam performance significativa apesar de comprometer o lado gráfico. Alguns dos equipamentos com processadores 700 são o Pixel 5 e 5a, da Google, Galaxy A52s e o LG Valvet.

Snapdragon 600 - O equilibrado

Este processador foge dos seus irmãos ao possibilitar equipamentos na casa dos 300€ e abaixo deste valor. O Snapdragon 695 consegue oferecer um sistema de oito núcleos satisfatório e relativamente poderoso ao oferecer 2 Cortex-A77 e 6 Cortex A-55. Tem ainda presente o GPU Adreno 619 que esteve ao lado do Snapdragon 750G do ano passado.

Este processeador habilita no smartphone Wi-Fi 6, Bluetooth 5,2 e Quick Charge 4+. Relativamente às câmaras temos gravação 4K HDR, suporte a sistema triplo de câmaras de 13MP ou um sensor único de 108MP.

As ligações 5G não ficam esquecidas com o modem X51 que permite downloads até 2500Mbps.

O Xperia 10 III é um dos equipamentos com este processador

Ao contrário dos modelos de gamas anteriores, este tem um desenho a 6nm e não tem suporte a um sistema de câmara triplo. Todavia, e face ao seu antecessor, temos aumentos de 15% no CPU e 30% no GPU.

Encontramos equipamentos com esta gama nas linhas da Remdi, com o Note 11 Pro, o Realme 9 Pro, o Sony Xperia 10 III ou o Motorola Moto G71.

Snapdragon 400 - a linha de entrada

Este é o último dos irmãos e que se encontra em equipamentos como o OnePlus Nord N100, Nokia G400 ou XR20.

Com o primeiro chip com suporte a 5G nesta gama, o Snapdragon 480 foi anunciado em abril do ano passado e representou uma versão menos turbinada dum Snapdragon 750G. Este tem uma construção a 8nm, suporte a ondas mmWave (apesar de serem com velocidades inferiores), Adreno 619 para GPU e suporta ecrãs até FHD+ a 120Hz. Tem ainda carregamento rápido 4+.

No campo do CPU encontramos os principais diferenciadores ao encontrar velhinhos 2 Cortex-A72 e 6 Cortex-A55. Isto impossibilita as capacidades fotográficas, ao impossibilitar gravação a 4K e sensores de 64Mp.

Um dos equipamentos com este processador

Chegada ao fim desta jornada nas diferentes gamas da Qualcoom, importa reforçar que cabe a cada empresa adotar as funcionalidades do chip no seu equipamento. Algo que obedece aos interesses da empresa e seu cronograma de lançamento. Exemplo disto é que o Snapdragon 8 Gen 1 tem suporte a câmaras únicas de 200MP e não se viu ainda nenhum equipamento com tal característica, ou a capacidade de ter um ecrã 4K a 60Hz ou QHD+ a 144Hz mas nem todas as fabricantes adotarem.

É certo que para quem procura a fotografia, as linhas 800 e 700 serão as que melhores recursos dão aos consumidores, muito por conta do processamento de imagem e processamento neuronal avançado e possibilitado pelo poder bruto desses processadores. Já refletimos no que deve pesar na hora de escolher um smartphone e, se estão num dilema entre investir num equipamento de há dois anos para obter um processador de topo a um preço mais apelativo, podem ler este nosso artigo.

Partilhar artigo