Ecrã do smartphone "queimado"? Sabe o que é e como prevenir

Conhece o fenómeno de ecrã queimado e como podes prevenir.
Escrito por António Guimarães e
2 mins de leitura
Ecrã do smartphone "queimado"? Sabe o que é e como prevenir
Publicidade
Publicidade

É provável que já tenhas ouvido falar ou mesmo testemunhado um smartphone com ecrã OLED a sofrer de "queimaduras". Neste artigo vamos explicar do que se trata e como podes tentar evitar que isto aconteça ao teu equipamento.

O que é o ecrã queimado?

A palavra "queimar" é um termo popular utilizado para descrever este problema. Na verdade, isto não é causado por queimaduras literais ou calor. Este problema ocorre quando um painel OLED sofre de descoloração permanente em partes ou totalidade do seu ecrã.

Apesar do ecrã continuar a funcionar, ficam notórias áreas que exibem elementos constantemente, como, por exemplo, botões de navegação, barras de notificação ou elementos "Always-on".

No exemplo acima, vemos que o ecrã ficou marcado permanentemente com os botões de barra de navegação.

Por que razão isto acontece?

Conforme os componentes que emitem luz de um ecrã vão a deteriorar, manifesta-se o ecrã queimado e outros problemas como mudança no brilho e na reprodução de cores. Embora não seja possível calcular exatamente quando é que isto acontece, a utilização de um ecrã OLED eventualmente pode levar a estes problemas. Assim que um ecrã OLED fica queimado, estes problemas agravam com a idade do equipamento.

Numa explicação mais técnica, um painel OLED é constituído por pixeis LED de diferentes cores: vermelho, verde e azul. Cada uma dessas cores tem tempos de vida diferentes. Um LED azul, por exemplo, tem uma eficiência luminosa menor que um LED verde ou vermelho.

Quando os pixeis LED azuis começam a deteriorar, o ecrã do smartphone exibe com mais clareza as outras cores, daí os tons vermelhos e verdes que ecrãs com este problema exibem.

Pode o problema ser evitado pelas marcas?

Conforme os anos passam, as empresas utilizam métodos para evitar a queimadura dos OLED. A Samsung, por exemplo, aumenta o tamanho dos pixeis LED azuis nos seus AMOLED, para compensar a deficiência luminosa acima mencionada. Equipamentos mais caros terão ecrãs OLED com melhor qualidade de construção e pixeis LED mais duradouros.

Contudo, a ideia principal é esta: um utilizador de smartphone mantém o seu equipamento durante 2 anos e meio, cerca de. Ou seja, a maioria dos consumidores troca de equipamento antes do mesmo começar a apresentar estes problemas.

Ainda assim, como posso prevenir o ecrã queimado no meu smartphone?

  • Tenta manter a luminosidade de ecrã longe do nível máximo.
  • Evita ter o ecrã ligado quando não utilizas o equipamento.
  • Utiliza o Dark Mode.
  • Utiliza o modo de tela cheia para esconder a barra notificações e de navegação. Podes instalar um launcher que permita isto, mesmo quando não vês conteúdos.
  • Escolhe um wallpaper com cores mais escuras.
  • Utiliza um teclado que tenha Dark Mode incluído.
  • Se utilizas uma app de navegação, escolhe uma que tenha Dark Mode.
  • Escolhe gestos de navegação em vez dos botões.

Em suma, à semelhança da saúde da bateria, a saúde do teu ecrã deve ser uma preocupação opcional. A maioria dos ecrãs OLED irão inevitavelmente sofrer deste problema e estas são algumas formas de minimizar os danos.

Partilhar artigo