Redes GSM e CDMA - o que são?

Conhece as diferenças entre estas duas redes e a sua importância para o consumidor.
Escrito por António Guimarães e
2 mins de leitura
Redes GSM e CDMA - o que são?
Photo by Gilles Rolland-Monnet / Unsplash
Publicidade
Publicidade

Quando pensamos em redes de dados móveis, normalmente falamos de 3G, 4G, ou mais recentemente 5G. Contudo, existem dois termos pouco falados: redes GSM e CDMA. Vamos saber o que estas redes significam para nós como consumidores.

O que é uma rede GSM?

GSM significa Global System for Mobile Communication, considerado um padrão de comunicações globalmente, utilizado em mais de 210 países. A rede GSM é utilizada maioritariamente na Europa e Ásia. A rede GSM funciona em 4 frequências de banda distintas: 900 MHz e 1800 MHz na Europa e Ásia e 850 MHz e 1900 MHz na América do Norte e do Sul. Este padrão foi fundado em 1987.

A rede GSM divide essas frequências em vários canais. Quando efetuas uma comunicação por GSM, a tua voz é transformada em dados digitais, atribuída a um canal e um espaço de tempo. Do outro lado, o ouvinte ouve apenas os dados atribuídos àquele canal e espaço de tempo, sem notar a latência.

O que é uma rede CDMA?

É provável que não tenhas ouvido falar da rede CDMA (Code Division Multiple Access.), o que é normal. Afinal, é maioritariamente utilizada nos Estados Unidos da América, bem como na Coreia do Sul e Rússia. Esta rede foi criada e patenteada pela Qualcomm, a famosa fabricante de processadores mobile.

Sendo uma rede proprietária, a CDMA não tem o alcance da GSM. Na verdade, a nível mundial, menos de 18% das operadoras de telecomunicações recorrem à CDMA. A Verizon e Sprint são exemplos de fornecedoras norte-americanas que utilizam.

As redes CDMA diferenciam as comunicações por códigos, sendo atribuído um código diferente a cada comunicação. Desta forma, as chamadas são identificadas quando a comunicação é recebida, através deste código único.

Diferenças entre GSM e CDMA

Em termos técnicos, a grande diferença entre GSM e CDMA é como os dados são convertidos em ondas de rádio enviadas e recebidos pelo teu equipamento. Ainda assim, eis algumas diferenças práticas:

Cartões SIM

Antes do 4G LTE, a grande diferença entre as redes GSM e CDMA estava nos cartões SIM. Equipamentos GSM possuiam lugar para cartão SIM, os CDMA não. Os equipamentos com CDMA tinham o número de telefone diretamente associado ao mesmo. Este processo tornava-se pouco prático, pois cada vez que um consumidor queria trocar de equipamento, tinha de falar com a operadora para desativar o equipamento antigo, à semelhança de uma licença de um programa num computador. Com a GSM, basta trocar de cartão SIM.

Cobertura de rede

Sendo mais utilizada, as redes GSM usufruem de uma cobertura muito maior. Ainda assim, nos Estados Unidos, a maior rede de CDMA pertence à Verizon Wireless.

Roaming internacional

Mais uma vez, devido à sua maior adoção a nível mundial, as redes GSM permitem comunicações por roaming muito mais abrangentes. Inclusive, se tiveres um equipamento desbloqueado, podes simplesmente trocar de cartão SIM, conforme o país onde estiveres.

Será a diferença relevante no futuro?

Conforme o mundo foi adotando os protocolos de 4G, 5G e LTE, as diferenças entre GSM e CDMA são cada vez menos impactantes. Aliás, para nós na Europa, o CDMA é um assunto praticamente irrelevante. Ainda assim, é importante ter noção das tecnologias presentes nos equipamentos.

Partilhar artigo